Linguagem, Cultura, Educação e Tecnologia

O projeto nacional de letramentos: “Linguagem, Cultura, Educação e Tecnologia” emerge a partir da percepção acerca da pertinência da formação de uma rede colaborativa entre as universidades para a realização de investigações e eventuais intervenções na formação de professores de línguas (inicialmente, de língua inglesa; num segundo momento, de línguas estrangeiras e do português como língua materna). 
 
O projeto iniciou-se informalmente em 2009 com a participação de nove universidades públicas. Foi cadastrado no Diretório de Grupos de Pesquisa (DGP) do CNPq em 2010, como “Projeto Nacional de Formação de Professores: Novos Letramentos, Multiletramentos e o Ensino de Língua Inglesa” (2009-2015), já com a participação de treze universidades públicas. Gradativamente, ampliou-se. Em seu segundo ciclo, está cadastrado como “Projeto Nacional de Letramentos: Linguagem, Cultura, Educação e Tecnologia” (2015-2019), contando atualmente com a participação de cerca de trinta universidades, de diversas regiões brasileiras. A adesão dos colegas ao projeto nacional ocorreu desde o início por “afinidade com o tema e os propósitos” daqueles que se propunham / propuseram: a desenvolver pesquisas e levantamentos, a ofertar seminários e cursos como educação continuada a professores de línguas da educação básica nas regiões de suas universidades, a fazer publicações sobre esses estudos, a compartilhar as experiências desse projeto por meio de livros e de eventos acadêmicos. 

Outras atividades a serem destacadas ao longo desses anos são: participação em debates sobre políticas públicas de ensino de línguas; revisão nos programas universitários de formação docente; abertura de projetos de formação em serviço e oferta de cursos a professores de escolas públicas; funcionamento de uma rede nacional de intercâmbio de estudos e pesquisas entre os integrantes do projeto; estabelecimento de convênios e intercâmbios internacionais com universidades estrangeiras, visando trocas acadêmicas e estágios para pós-graduandos e pós-doutoramento. Além dos trabalhos previstos no plano geral do projeto, em que essas universidades desenvolveram atividades de integração entre o ensino superior e as escolas públicas, houve ainda grande colaboração com a Secretaria de Educação Básica do MEC, com as Secretarias de Educação nos âmbitos estaduais e/ou municipais e nas parcerias interinstitucionais construídas pelos próprios integrantes do projeto. 

As experiências realizadas confirmaram ou confirmam os propósitos dos letramentos como um projeto educacional que pretende expandir as funções educacionais. Os pesquisadores dessa área asseguram que o letramento crítico e a (re)construção de sentidos são possibilidades de promoção da conscientização sobre visões de sociedade e de sujeito, assim como também o é a premissa da ‘subjetificação’, dois conceitos a serem tratados a seguir. 
 

Fonte: 

MONTE MOR, W. “Formação Docente e Educação Linguística: uma perspectiva linguístico-cultural-educacional”. In W. Magno e Silve; W. Rodrigues Silve; D. Muñoz Campos (Orgs). Desafios da Formação de Professores na Linguística Aplicada. Campinas: Ed. Pontes, 2019, p 187-206.

Tags